• henriquefranke

Bolívia 2015: Dias 8, 9, 10 e 11

Atualizado: 30 de Jul de 2018

Merecido Descanso


Após retornar a La Paz no dia seguinte ao ataque ao cume, todos gripados, primeira providência foi procurar um médico. Toda função de ligar ao seguro de saúde, agendar consulta, achar a clínica que marcaram, enfim conseguimos. Devido aos seguros diferentes, eu e Diego fomos direcionados a uma e Lorenzo a outra. Diagnóstico, novamente igual a todos: amigdalite. A mim e Diego foi aplicado antibiótico por injeção, além de via oral pelos próximos dias, Lorenzo apenas comprimidos.

PS: Lições aprendidas (na verdade fui me dar conta um dia desses, em um conversa com a Aretha, da Grade6, e relacionei que isso justificou eu e Diego termos tido os mesmos problemas): ambiente de montanha se deve ser egoísta, onde cada um tem suas coisas, principalmente garrafas de água e chá, para evitar que, caso um esteja infectado, prejudique a expedição do outro, ou até mesmo impossibilite o apoio mútuo; pois foi exatamente isso que fizemos praticamente todos os dias, compartilhamos as garrafas, pra não ter que os dois tirar as mochilas, rsrsrsr.

Sábado a noite, chegada dos agregados a nossa expedição, e que nos acompanhariam ao Huyana Potosí, dupla sensacional, Ercy e Adriano. Todos dois, caras muito gente boa: Adriano, brasiliense com um pé no rio, muito divertido, animou nossos dias no Huayna, além de ser muito forte e ter sido o primeiro a alcançar o cume nessa expedição; Ercy, campinense, um exemplo de dedicação e esforço, após seus 50 anos colocou metas de coisas a diferentes a fazer, uma lista, e a primeira delas era subir o Aconcágua, e estava conosco como primeira preparação em montanhas geladas.


Primeiro encontro com Ercy e Adriano

A programação era irmos todos juntos no domingo, logo cedo, ao refúgio baixo do Huayna, já que nossos novos companheiros ainda não estavam aclimatados, e precisavam de 3 a 4 dias na montanha para se preparar para o ataque ao cume. Como estávamos debilitados, negociamos com Oswaldo uma extensão do nosso descanso em La Paz: ele iria com eles ao vale no domingo, para iniciar a aclimatação, e nós, já aclimatados, descansaríamos um dia a mais, para se recuperar e não comprometer a expedição.


Adriano e Ercy no seu primeiro dia de aclimatação

Adriano e Ercy: primeiro contato com neve, crampons, etc

Vista do Refúgio Baixo

Nosso dia de descanso, tudo muito bonito

Terça-feira: "Hoje dormi muito bem. Às 9:30h saímos para fazer uma caminhada de reconhecimento ao campo alto. Bastante íngreme, mas o grupo se saiu bem.     Retornamos às 14:30h para o refúgio, nos preparamos para a subida de amanhã, e cochilei bastante. A noite começou a nevar, e ainda está nevando. Amanhã planejamos sair as 9:30h para o campo alto novamente, onde nos prepararemos para o ataque ao cume, na madrugada.     O sucesso vai depender muito de como estará o tempo, veremos amanhã." Refúgio Baixo do Huyana Potosí, 14 de julho de 2015


Grupo saíndo pra dia de exercícios

Caminho ao refúgio alto, caminhada de reconhecimento

A trilha prometia, muita pedra solda e aclive acentuado

Grupo no Rock Campo (Refúgio Alto), a 5.130 msnm

As vezes ficávamos "nas nuvens", no detalhe represa ao lado do refúgio baixo

0 visualização
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco
contatos

Henrique Scalco Franke 

+55 55 981374049 

henriquefranke@versuseumesmo.com