Trekking Cordón del Plata - Dias 1, 2 e 3

No post anterior contei um pouco para vocês como surgiu a ideia e como foram os preparativos desse primeiro roteiro #versuseumesmo, até nosso último dia em Mendoza. Agora quero contar pra vocês como foi esse roteiro.


Parque Aconcágua e um pouco de turismo

Saímos logo cedo de Mendoza, após o café da manhã, e percorremos os quase 200km da Ruta 7 até o Parque Provincial Aconcágua. O início do trajeto é muito bonito, pois ainda estamos na planície de Mendoza e aos poucos vamos adentrando a cordilheira, tendo imagens belíssimas das montanhas mais frontais, entre elas o próprio Plata.


Potrerillos é onde, para irmos ao Cordón del Plata, saímos da Ruta 7 e pegamos uma estrada vicinal até o refúgio, por isso aqui fizemos uma breve parada: como o Caio e a Jéssica também estavam de carro, optamos por deixar o carro deles por aqui, em um minimercardo logo antes de inicar a subida e próximo a rodovia, e irmos em um carro só até o parque. Esta região de Mendoza é muito utilizada como balneário pelos habitantes de Mendoza, por isso costuma ser bastante movimentada e segura, o que nos deixou mais tranquilos quanto a deixarmos o carro. Claro que, por garantia, conversamos com o dono do mercadinho antes.

A partir dali seguimos em um carro só.

A estrada é bastante sinuosa, e com trânsito relativamente pesado de caminhões, o que torna o trajeto por vezes lento. Sendo assim, depois de pararmos na Quebrada de Vacas, uma entrada alternativa para acessar o lado leste da montanha, chegamos em Horcones, na entrada do parque, aproximadamente ao meio dia! Fizemos check-in junto aos guarda-parques (tem que pagar uma taxa de ingresso), estacionamos e seguimos caminho.

A proposta desta parte do roteiro era termos a possibilidade de, além de conhecer a entrada de acesso a maior montanha das Américas, claro, caminharmos em altitude um pouco mais elevada do que a que dormiríamos a noite. Seguindo as trilhas possíveis com o permit diário de Horcones podemos caminhar por pouco mais de três horas, com um ganho de elevação de cerca de 150 metros, chegando até os 3.200msnm aproximadamente. Todos se saíram super bem, sem sentir muito os efeitos da altitude, e apesar do vento foi um dia agradável, com temperaturas altas.



Aproximadamente as 15:30h saímos do parque e começamos nosso retorno à Potrerillos. No meio do caminho paramos em um dos principais, senão o principal, ponto turístico da região, a Puente del Inca. Uma "ponte" natural formada pela deposição calcárias das águas termais da região, e que durante muito tempo foi explorada como balneário termal. Pelas 19h, bem mais tarde que o planejado, mas muito satisfeitos com o dia que tivemos, chegamos ao Refúgio San Bernardo, a 2.800msnm, aquele que seria nossa casa pelos próximos 7 dias!

Jantamos, organizamos nossos mantimentos e equipamentos num local só para nós (fora dos quartos para preservar a limpeza e o silêncio, uma vez que são quartos compartilhados, um refúgio de montanha) e não demoramos a nos recolher à dormir. Fomos surpreendidos por um calor inesperado nessa época do ano, e acabou que os sacos de dormir para -15 °C não fizeram muito sentido!




Dia 2 - La Veguita Superior, 3.450msnm

O nosso primeiro dia em Vallecitos foi destinado a uma caminhada de aclimatação. Tendo alcançado, no dia anterior 3.200msnm com pouco desnível, hoje era dia de subirmos um pouco mais, vencendo um desnível mais acentuado. Acordamos, tomamos café da manhã com calma, preparamos os lanches para o dia, e, sendo o primeiro dia de caminhada mais longa e técnica, gastamos um pouco mais de tempo auxiliando a todos a ajustarem corretamente suas mochilas, bastões de caminhada, melhor vestuário, etc.



Apesar de os haver orientado a caminhar lentamente na saída, a ansiedade era maior e saímos num ritmo um pouco apressado, o que não demorou a cobrar a conta, com pequenas paradas fora do programado ao longo de boa parte da caminhada. Fizemos nossa primeira parada um pouco mais lo