• henriquefranke

Huayna Potosí+Sajama: Dia 8

 Dia de subida ao campo alto. Já dava pra sentir que o frio seria constante nessa montanha! Mais uma noite gelada! Acordamos no horário tradicional, afinal dormindo cedo não dá pra ir até muito tarde dormindo... Tomamos café, e o plano era manter o campo base montado, onde a Maria (cozinheira) ficaria, caso houvesse necessidade de algum suporte ou retorno antecipado!     Depois de desmontar acampamento, fui até a fonte de água, que parecia bonita, mas de dia achava que podia ser ainda mais... E era mesmo.. diferente de outros lugares, onde normalmente a fonte de água são córregos de água de degelo na montanha, esta era de fato uma fonte, onde a água vertia do solo, completamente transparente... muito diferente, e muito bonito!!


Fonte de água! O caninho é apenas pra facilitar a coleta sem contaminação da fonte!

     Em torno das 10h começamos a subida, com equipamento mínimo, apenas o necessário para uma breve descansada e para o dia de cume. Mas como tudo indicava muito frio, isso não necessariamente era pouca coisa!      Início plano, por cerca de 1km, depois uma subida curta, mais um trecho relativamente plano, com desnível suave. Mas aqui já dava para ver para onde íamos, e não era agradável, o último trecho extremamente íngreme, com pedras e solo soltos, sem neve, tudo indicava que ia ser sofrido! Não sei se penso assim porque já passou e sofri, mas a vista antes não era animadora, rsrsrsr.. Não lembro ao certo quanto tempo levamos, mas lembro que cheguei exausto na acampamento alto, tanto que só deu pra montar a barraca e me atirar pra dentro, além do frio que fazia devido ao vento. Dei sorte que tinha gente disposta a cozinhar, e ganhei a janta sem muito esforço.


O que já havia, em torno de 2h depois e já não se reconhece o campo base lá no fundo.

     Sério, nunca fiquei tão exausto em um dia de subida que não fosse dia de cume. Dada minha fadiga, achei que quem sabe a expedição teria acabado ali para mim, precisava descansar! Agora o negócio era descansar, dormir bem, e perto da 1h da manhã ver como estaria me sentindo para tomar uma decisão!


A esquerda, de onde viemos, à direita, para onde vamos! A pedra, no alto do canto direito, é onde fica o campo alto

"Apesar de acordar várias vezes, dormi muito bem. Achei a noite fria, mas sem vento foi agradável.     Após o café, pelas 10h, saímos em direção ao campo alto. Particularmente achei uma subida muito ruim, com terra solta e desnível acentuado em quase todo trajeto, foi bastante trabalhoso. As 3 primeiras horas caminhei legal, depois perdi ritmo, fiquei para trás e foi ainda mais custoso. As 3 últimas horas foram de muito vento e, consequentemente, frio. No final já estava cansado, com dor de cabeça, dor no é direito.


Jantar à mesa!

    Cheguei ao campo alto com muita dor de cabeça, provavelmente devido à altitude, o que é estranho, pois já havia passado essa altitude (5.700 msnm) no Huayna Potosi, há poucos dias. Não consegui ajudar os guias a montar acampamento, simplesmente entrei em minha barraca e dormi, até Sérgio trazer um chá quente.     Depois disso tomamos uma sopa e jantamos.     Por vários momentos no final da trilha de hoje me senti incapaz de continuar amanhã, vamos ver como será. O plano é levantar à meia noite e começar a caminhar às 2h.     Agora estou tomando mais um chá enquanto escrevo. Em seguida vou tentar dormi mais. São 18:14h." Campo Alto, Nevado Sajama/Bolívia, 7 de agosto de 2017


Dado o vento, isso era na barraca e dentro do saco de dormir mesmo!

0 visualização
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco
contatos

Henrique Scalco Franke 

+55 55 981374049 

henriquefranke@versuseumesmo.com