• henriquefranke

Aconcágua: Dia 8

Após uma noite de muito, mas muito mesmo, vento, e consequente pouco sono, acordamos pelas 7h, tomamos café um pouco mais tarde, e apenas pela metade da manhã saímos em direção ao campo 2. Dessa vez não teria subida de aclimatação, era de bate pronto mesmo.


Amanhecer a 5.100 msnm, depois de uma noite de ventania!!

Primeira etapa, até a virada do primeiro colo, foi extremamente extenuante. Muito íngreme, muito peso, cheguei exausto até o colo, nosso segundo descanso. O grupo andava bem, mas eu acompanhava um pouco mais de longe, parecia que não conseguiria seguir o ritmo. E assim continuei até o campo 2. Mais ou menos na metade do caminho uma paisagem sensacional, com vista para outros cumes, e pouco aproveitei, minhas forças pareciam esgotadas, o apoio dos guias foi imprescíndivel, e de Sascha que parou do meu lado e disse que continuasse, que pensasse em outra coisa que ajudaria a não sentir. É impressionante como pequenas palavras nos dão muita força essas horas.


Subida que nos esperava até o primeiro colo (créditos: Márcio)

    Apesar de a segunda metade um pouco mais leve, menos íngreme, cheguei ao campo 2 exausto, com muita dor de cabeça. Por sorte os porteiros já haviam montado as barracas, pois só tinha forças para entrar na barraca e deitar um pouco. Apenas após breve cochilo é que consegui me alimentar um pouco e hidratar. A paisagem desde o campo 2 fazia valer a pena cada segundo de sofrimento para chegar até ali!!     Este dia mostrou que a montanha não era de graça!!


Primeiro descanso, já estava exausto!! (créditos: Márcio)

"Acordei cedo, às 7h, antes do que precisava, o café saia só as 8:30h.     Tomamos café, arrumamos a mochila, desmontamos barracas e às 11:30h começamos a caminhar rumo ao campo 2, mais conhecido como campo 3 de Guanacos. O início foi uma subida muito dura que me desgastou muito. A outra metade do trajeto não era tão pesada, mas fiz me arrastando. Acho que tive a primeira demonstração de que a montanha não é pra qualquer um, cheguei a pensar se é para mim mesmo, ou me questionar porque estar aqui.


Mais ou menos metade do caminho, paisagem deslumbrante!

    Chegando no campo 2 a dor de cabeça começou, insuportável, parecia que o coração batia na cabeça. Não consegui fazer nada, tentei beber chá mas foi muito pouco. Comi um pouco de melão, oferecido por Aretha, tomei um ibuprofeno e deitei na barraca, dormi umas 2h.     Pelas 19h Carlos nos chamou para o jantar, sopa instantânea e cuscuz marroquino com salsicha. Não tinha muita fome, mas me forcei a comer, mesmo tendo comido pouco.     Decidi não me recolher enquanto não terminasse a térmica de chá, e assim o fiz. Já me sinto muito melhor. Como amanhã é dia de descanso, acho que conseguirei me recuperar bem para continuar. Estamos mais perto do cume.     São 20:14h, já fui ao banheiro, esvaziei a 'pee bottle', escovei os dentes e agora estou deitado na barraca escrevendo, e logo vou dormir." Campo 3 de Guanacos (Campo 3), Parque Provincial Aconcágua/AR, 15/jan/2017


Vista do cume desde o mesmo ponto da foto anterior (créditos: Márcio)

0 visualização
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco
contatos

Henrique Scalco Franke 

+55 55 981374049 

henriquefranke@versuseumesmo.com