• henriquefranke

Aconcágua

O "evento" para o qual passei quase o ano de 2016 me preparando finalmente aconteceu, a expedição ao Aconcágua, o sentinela de piedra, ou gigante das Américas.

   A expedição foi mais ou menos como imagina... muito trabalhosa, com dias longos, paisagens bonitas!! Mas tudo foi mais exacerbado... os dias mais longos, mais trabalhosos, o ar rarefeito mais impactante, mas também as paisagens mais bonitas, os companheiros mais amigos!!


Com Bruno, Cláudia, mãe e pai no Aeroporto Salgado Filho, Porto Alegre/RS

    Dia 5 de janeiro saí de Porto Alegre/RS e cheguei em Mendoza/AR. O objetivo é que todo grupo estivesse lá dia 5, mas me antecipei em um dia para ter um dia inteiro livre lá para escolher melhor os equipamentos que ainda precisava alugar e/ou comprar. Poderia ter feito isso chegando no dia 6, mas ainda assim acho que valeu a pena!!! No próprio dia 5 já chegaram alguns companheiros de expedição, e aos poucos fomos nos encontrando!!  

    Já no dia 5 dividi o quarto de hotel com Sascha, que viria a ser meu companheiro de barraca por toda a expedição, e com quem acabei desenvolvendo uma boa amizade, o que foi muito importante na montanha!

    Dia 6 foi dia para ver todas as lojas de equipamentos de Mendoza praticamente. Depois de pré-conferência dos equipamentos pelo Carlos e pela Aretha soube que não poderia utilizar a minha bota (apesar de ser muito boa, não era uma bota dupla, e os dias estavam especialmente frios e ventosos na montanha), e com isso tinha mais um equipamento para ir atrás. Mas no fim deu tudo certo, aluguei as botas e saco de dormir, e comprei mittones, e isolantes rígido e inflável. Todo o resto dos equipamentos já possuía!

    Neste dia também já encontramos com praticamente todo o grupo, almoçamos e jantamos todos juntos! Estas pequenas coisas foram aproximando-nos!


Todo grupo na oficina de turismo para retirada do permiso e devidamente autorizados à escalar

     Dia 7 foi dia de fechar as mochilas, tirar o permiso na "secretaria de turismo" e seguir caminho para os Andes. Depois do almoço fomos à Penitentes, a 2.500 msnm aproximadamente, uma estação de esqui que no verão serve de base de apoio para expedições ao Aconcágua. Dormimos aí, em um refúgio de montanha, para no outro dia cedo se deslocar a quebrada de vacas, a 5 min dali de carro, de onde iniciaríamos nossa caminhada, e de fato iniciaria a expedição.


Em Penitentes/AR, última parada antes de iniciar a expedição propriamente dita

"A quinta e a sexta foram destinadas a visitar lojas, alugar ou comprar equipamentos que faltavam e começar a interagir com o grupo. Foi muito bom, o grupo é bem heterogêneo, mas está bem integrado e todos se divertindo muito.

     A única coisa não esperada foi ser recomendado a não utilizar minha bota, sob o risco de precisar abortar a subida por frio nos pés. Então acabei alugando outra.

   Hoje pela manhã retiramos o 'permiso' na 'oficina de turismo' e à tarde fizemos o deslocamento à Penitentes, próximo a entrada do parque. Foram 2h de viagem, cerca de 180 km. Paisagem lindíssima, com  uma geografia  muito particular.

    Hoje dormiremos em um refúgio e amanhã de manhã colocaremos as 'duffel bags' nas mulas e pelas 10:30h iremos ao parque, cerca de 5 min de carro daqui. A partir dali serão 5h de caminhada até o primeiro acampamento.


Em frente ao refúgio, ajeitando as bagagens

  Estamos à 2.545 msnm e já sentimos leves efeitos de altitude, apesar de estar muito satisfeito pela minha reação, principalmente por estar conseguindo ir ao banheiro." Penitentes/AR, 07/jan/2017


Últimos ajustes na bagagem antes de despachá-las com as mulas

1 visualização
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco
contatos

Henrique Scalco Franke 

+55 55 981374049 

henriquefranke@versuseumesmo.com